Ensino Híbrido: Como ele pode ajudar nos seus treinamentos?

A modalidade que combina o ensino presencial e o on-line, pode ser uma estratégia muito eficaz para potencializar os resultados das organizações.

O ensino híbrido ou blended learning é uma modalidade de educação (como o ensino presencial ou a Educação a Distância) cuja principal característica é que o aprendiz estuda os conteúdos e instruções usando recursos on-line e, também, em momentos presenciais. Ou seja, essa modalidade une e sincroniza momentos presenciais e onlines de aprendizagem.

Unir e sincronizar significa que os momentos não devem existir de modo independente. Eles devem ser planejados conjuntamente, de maneira complementar. A ideia é que, juntos, integrem um momento de aprendizagem completo. Como esses momentos podem ser misturados vai depender da sua criatividade, experiência e recursos disponíveis. 

Esse “online” não significa aprender um conteúdo de forma arbitrária, sem instrução ou direcionamento, na internet. Pedir ao colaborador que faça uma pesquisa no google e acreditar que está usando o modelo de ensino híbrido é uma apropriação bastante ingênua da metodologia.  Não se deve confundir uma atividade de game ou outra situação em que os aprendizes baixam um aplicativo e jogam (mesmo que essa atividade promova algum tipo de aprendizagem) com ensino híbrido. 

Como toda modalidade de educação, o ensino híbrido exige planejamento e instrução específicos e não é caracterizado por qualquer material acessado na internet para aprender algo online. 

O conteúdo e as instruções podem ser elaborados ou selecionados (em caso de curadoria, por exemplo) especificamente para uma aula ou conjunto de aulas. Além disso, a parte presencial, onde o professor/mediador estará presente, deve valorizar as interações interpessoais, ser complementar às atividades ou materiais online e problematizar o conteúdo por meio de atividades, debates ou outras propostas que estimulem o colaborador a participar do processo, que coloque-o para agir, pensar, interagir, resolver um problema, colocar a mão na massa.

A sala de aula invertida é exemplo de estratégia de ensino híbrido onde os aprendizes têm um contato prévio – se possível, por meio de uma plataforma de aprendizagem – com o conteúdo que será abordado no momento presencial. O foco pedagógico é que essa atividade prévia estimule o envolvimento do aprendiz com o conceito e o momento presencial seja planejado como uma etapa para problematizar, tirar dúvidas, discutir o conceito. Portanto, a construção ou escolha desse material é fundamental e deve estar ligado ao momento presencial posterior.

O ensino híbrido pode potencializar o resultado da sua empresa através da aprendizagem dos seus colaboradores. Já pensou nisso?

Já que o ensino híbrido é uma modalidade que une momentos presenciais e onlines de aprendizagem faz todo sentido mencionar a personalização já que estamos falando de diferentes formas de ensinar e aprender. Híbrido significa mistura e, portanto, a idéia de sincronizar momentos presenciais e online é uma ótima estratégia para atingir os diferentes perfis de aprendizagem. 

Por exemplo, você irá estruturar um treinamento para os colaboradores sobre mindset. O objetivo é entender como esse conceito pode ajudar no enfrentamento das diferentes imprevisibilidades e desafios do ambiente corporativo. Para tanto, você pode disponibilizar um material de fácil entendimento sobre o tema (se possível, um vídeo, um texto ou podcast – assim cada colaborador poderá acessar o que for mais fácil para ele) e disponibilizá-lo em uma plataforma para que o seu colaborador tenha um primeiro contato com o conteúdo antes do treinamento. Dessa forma, ao invés de usar o tempo de um momento presencial para apresentar o conceito usando um powerpoint,  você poderá aproveitar a interação com os seus colaboradores para tirar dúvidas, colocar provocações, analisar casos reais, apresentar problemas, estimular debates, exposição e troca de ideias ou experiências. É um momento de provocar  conversas,  aproximações entre pares, exercitar a construção e exposição de de argumentos. 

Para o treinamento, você pode apresentar casos reais (situações que acontecem na empresa) como, por exemplo: um feedback em uma reunião que não foi bem recebido e afetou o cotidiano de trabalho; uma situação em que a produção do colaborador precisa aumentar em pouco tempo e ele sente que não será capaz; uma situação em que há problema de relacionamento entre colaboradores do mesmo time e perguntar aos colaboradores como eles lidariam com as situações apresentadas (se possível, faça simulações para torná-las ainda mais reais).

Após esse momento, você pode moderar um debate relacionando as atitudes exemplificadas pelos colaboradores com os tipos de mindsets, as possibilidades de mudança de pensamento e comportamento e como isso poderá mudar o cotidiano de trabalho. 

Esse debate poderá ser estendido ou completado com a criação de um fórum na plataforma ou um blog post resumindo as principais ideias geradas durante essa situação. É importante que essas ideias fiquem registradas para que o treinamento possa ser replicado quando novos colaboradores entrarem ou quando houver necessidade de acessar o conteúdo novamente. 

Perceba, nesse breve exemplo, quantas maneiras de abordar o conceito de mindset você usou. Ou seja, quantas possibilidades de entendimento do conceito você ofereceu aos seus colaboradores.

E aí? Consegue estruturar um treinamento com base nessa metodologia? De quantas formas você pode abordar um conteúdo e potencializar os resultados pela aprendizagem dos seus colaboradores? Conheça a nossa plataforma e veja como ela poderá ajudá-lo a elaborar um treinamento com base no ensino híbrido!

Veja também

5 maneiras de amenizar o Turnover dentro da sua empresa

Uma alta taxa de Turnover, ou rotatividade de pessoal, pode afetar a lucratividade, produção e o ambiente organizacional dentro de uma empresa.

5 mitos ou verdades sobre a educação a distância

No dia Nacional da Educação a Distância, separamos alguns mitos e verdades sobre o tema.